Como montar um e-commerce partindo do zero

Como montar um e-commerce partindo do zero

O artigo de hoje é para você que deseja montar  um e-commerce, mas não sabe por onde começar. Vou te mostrar passo a passo como montar um e-commerce partindo do zero.

Atualmente o comércio eletrônico é a principal ferramenta para você que deseja criar um empreendimento. Através do comércio eletrônico você poderá atingir milhões de pessoas e assim vender para todo o país.

O e-commerce traz algumas vantagens para o empresário. Autonomia, redução de custos e flexibilidade.  O custo de uma loja virtual é reduzido em relação a loja física, requer uma estrutura e equipe menor.

Além do mais possui a vantagem de começar com pouco investimento e até mesmo de sua própria casa. O ideal é que você comece o empreendimento por fase, investindo pouco e mensurando os resultados.

Mas antes de iniciarmos o passo a passo eu vou te mostrar um pouco sobre a expectativa do e-commerce para 2017.

De acordo com a Abcomm (Associação Brasileira de Comercio Eletrônico) em 2017, o e-commerce brasileiro deve crescer 12% em relação a 2016 e faturar em torno de R$ 59,9 bilhões.

A expectativa é que atinja a marca de 38,5 milhões de compradores únicos nas 71 mil lojas virtuais existentes, consolidando a tecnologia no cotidiano da população brasileira. O e-commerce resistiu à crise no país e segue crescendo, cada vez mais.

Em 2016, o e-commerce cresceu 11% em relação ao ano anterior e obteve um faturamento de R$ 53.491 bilhões, fechando o ano com 179 milhões de pedidos.

Tenho certeza que você ficou animado com essas informações. Pegue papel e caneta que agora eu vou te mostrar passo a passo para você iniciar o seu negócio na internet.

E aí? Está preparado para montar o seu e-commerce?

Como montar um e-commerce partindo do zero

Passo 1: Escolha o nicho de mercado

O primeiro passo que você deve fazer é escolher o nicho de mercado. Um erro que muitos cometem é já querer iniciar uma grande loja com uma grande variedade de produtos, mas isso não é o mais indicado.

Basta um único produto que seja bom e tenha uma boa lucratividade para começar a vender, captar clientes e criar relacionamento. Você deve buscar um produto que seja diferente. Um produto que tenha necessidade no mercado e que as pessoas desejam encontrar. Pode ser um produto já existente, mas que traga algo diferente.

Anote essas três perguntas e tente responde-las.

  1. O que eu vou vender?
  2. Para quem eu vou vender?
  3. Quem vai me fornecer?

Essas perguntas são de extrema importância para você que deseja montar o seu e-commerce de sucesso.

Após você definir o seu produto o próximo passo é a plataforma que você deverá escolher para gerenciar as vendas do seu negócio.

Vamos em frente?

Passo 2: Escolha da Plataforma

A plataforma é uma das primeiras decisões a serem tomadas por você que deseja se tornar um empreendedor e montar seu e-commerce.

É muito importante a decisão de escolher uma boa plataforma, pois ela é à base da sua loja virtual. É essencial escolher uma plataforma de qualidade e que seja flexível. Nesse caso existem inúmeras possibilidades.

A primeira possibilidade é contratar uma empresa para desenvolver a plataforma para o seu negócio. No entanto, esse tipo de serviço criado do zero exige um investimento alto e talvez você que está começando um negócio pequeno não seja tão atraente.

Resumindo, existem três tipos de plataforma a disposição do empreendedor, são elas:

  1. Software livre (Gratuitas)
  2. Gratuitas
  3. Pagas

Muitas pessoas escolhem as plataformas de software livre como: Magento, Open Cart entre outras como opção. São plataformas com excelentes funcionalidades, porém, em certo momento o empresário acaba precisando de profissionais especialistas nesse tipo de plataforma e o custo da mão de obra não é barato.

As plataformas gratuitas eu não indico, pois são muito limitadas e não permitem que você customize sua página. Também outro detalhe importante é a questão do suporte.

Então a melhor opção é começar com uma plataforma paga, ou seja, alugada.  Esse tipo de plataforma é chamado de Saas (Software as a Service).  Esse tipo de plataforma já oferece tudo pronto e todo o suporte necessário. Dessa forma você pode reduzir os seus custos.

Esse tipo de plataforma ajuda você a iniciar no mercado online e testar o seu produto sem grandes investimentos com plataforma. Não faça grandes estoques de produto. Outra dica é, tente fazer parcerias com fornecedores. Pois você está criando um novo canal de vendas para o seu futuro fornecedor.

Dessa maneira os riscos diminuem, é possível até você trocar de produto caso não de certo. Nesse momento você está aprendendo a como trabalhar com uma loja virtual, tendo a oportunidade de analisar os pontos fortes e fracos do seu negócio.

É preciso aprender na prática, pois apenas na teoria não irá resolver. Muitas pessoas investem muito dinheiro no começo e com o tempo ficam sufocadas. Pois existe sazonalidade, então você precisa ter um capital para manter o negócio por um tempo.

Passo 3: Escolha da forma de pagamento

Um dos itens fundamentais para quem possui uma loja virtual é definir qual opção de pagamento oferecer ao cliente. Vou citar três opções para você receber seus pagamentos online.

  1. Intermediadores de pagamentos – Essa é a opção recomendada para quem está começando uma loja virtual. São opções mais simples de utilizar e ajudam o empresário em duas frentes importantíssimas: fazem adiantamento de recebíveis e assumem o risco de fraude. Para utilizar este tipo de pagamento, você pagará uma porcentagem sobre a venda para a empresa intermediadora. Pagseguro, Paypal, Mercado Pago entre outros são os intermediadores mais famosos no Brasil.
  2. Gateways de pagamento – Soluções mais robustas de pagamento e garantem conexões mais estáveis com as redes (Cielo e Redecard). Cobram apenas uma taxa fixa por transação, gerando uma economia. Porém, o empresário deverá contratar sistemas antifraude e  negociar direto com as redes como Cielo e Redecard.
  3. Integração direta com a adquirente – Essa opção é válida para empresários que possuem uma equipe de desenvolvimento. A vantagem é que você poderá negociar direto com a adquirente as taxas por transação e antecipação de recebíveis.

Como já dito, se você está começando agora e pretende gerenciar sua loja com tranquilidade e segurança eu indico você a utilizar um intermediador de pagamento.

Uma grande dúvida de pessoas que desejam abrir uma loja virtual é:

Como proteger os dados de pagamento do meu cliente?

Receber pagamentos através da internet exige preocupações, e a principal é a fraude. Por exemplo, um cliente poderá comprar um produto com um cartão roubado ou os dados do seu cliente como, dados do cartão de crédito roubados.

Se você utilizar um intermediador de pagamento em seu e-commerce você não deverá se preocupar com fraude. Os intermediadores de pagamento se responsabilizam por toda a operação de pagamento junto ao cliente. Qualquer prejuízo ao cliente, o intermediador será responsabilizado.

Passo 4: Estratégias de Marketing

Apesar de uma loja virtual ter menos custos que a loja física, você não tem um ponto físico. Você está na internet, então está competindo com milhares de outras empresas. Você precisa atrair os clientes.

O desenvolvimento das estratégias de marketing são tão importantes ou mais do que qualquer outra coisa no seu negócio. Seu principal objetivo é atrair clientes o tempo todo.  Você deve estar ciente que para atrair clientes tem um custo e você precisará investir em marketing. Deve estar preparado financeiramente, pois as vendas não acontecem do dia para a noite.

Convido você a baixar o Ebook GRATUITO com o tema, Como Atrair Mais Clientes e Vender Mais.

Passo 5: Formalização do negócio

Um e-commerce é uma empresa e para isso deverá ser constituída juridicamente. O primeiro passo é conversar com um contador para montar sua empresa.

Uma dica para você que está iniciando é abrir um MEI ( Micro Empreendedor Individual).  Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60.000,00 por ano e não ter  participação em outra empresa como sócio ou titular.

Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais.

Além disso, o MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 47,85 (comércio ou indústria), R$ 51,85 (prestação de serviços) ou R$ 52,85 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo.

Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.

Quer saber mais sobre o MEI?

Visite o site oficial http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual

Existe uma crença que abrir uma loja virtual é muito barato. Mas não é bem assim, você deverá fazer algumas perguntas, tais como:

  • Quanto vou gastar com implantação e manutenção da plataforma?
  • Quais os investimentos pré-operacionais?
  • Compra e manutenção de equipamentos?
  • Equipe de trabalho?
  • Impostos e encargos?
  • Estoque inicial e capital de giro?
  • Custos de estocagem?
  • Custos de logística?
  • Publicidade e Marketing?
  • Pro labore?

Recapitulando

Vimos neste artigo os 5 passos principais para você abrir o seu e-commerce partindo do zero.

  1.  Escolha o nicho de mercado
  2.  Escolha da Plataforma
  3.  Escolha da forma de pagamento
  4.  Estratégias de Marketing
  5.  Formalização do negócio

Como eu posso te ajudar?

Primeiramente, meu nome é Filipe Elidio e sou consultor em vendas online. Se você precisar da minha ajuda para analisar o seu negócio e ajudar você a implementar todos os passos ensinados neste artigo, eu posso te ajudar.

Clique Aqui e entre em contato.

Filipe Elidio

Filipe Elidio é especialista em Tecnologia da Informação, Especialista em Metodologia do Ensino na Educação Superior, empreendedor graduado em Gestão Comercial, Professor e Desenvolvedor de Sistemas WEB. Entre em contato comigo através do e-mail filipeelidio@gmail.com.

5 thoughts to “Como montar um e-commerce partindo do zero”

  1. BOM DIA,

    PRETENDO MONTAR UM ECOMMERCE E VENDER SAPATIHAS, ACESSORIOS DE MAQUIAGEM E POSTERIORMENTE CANECAS E QUADROS DE TIMES DE FUTEBOL, ESTE NICHO, SERÁ PARA MEU FILHO E MINHA NORA, POIS AMBOS ESTÃO DESEMPREGADOS, E ESTOU DISPOSTA A INVESTIR NESSE SEGMENTO.

    1. Olá, Eliana!

      Tudo bem?

      O ecommerce está crescendo a cada ano. Para dar certo o planejamento do negócio é de extrema importância. Você poderá usar o método canvas para criação do modelo de negócios. Qualquer dúvida, entre em contato.

      Grande abraço
      Filipe Elidio

  2. Boa tarde.

    Tenho um CNPJ MEI com outro seguimento,que já não trabalho mais.
    Quero muito iniciar nesse seguimento e-commerce sozinha com pouco dinheiro,eu consigo usar esse CNPJ e trabalhar sozinha por enquanto nesse negocio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *